Prefeitura e agricultores rurais elaboram propostas para o setor

O ambiente de discussões do III Fórum
de Segurança Alimentar e Nutricional para a Sustentabilidade de São Luís
culminou na elaboração de uma pauta de proposições em benefício das comunidades
agricultoras rurais. As propostas foram elaboradas considerando a relevância,
impacto social, viabilidade econômica e atendimento ao combate à fome,
desnutrição e à pobreza.
Do conjunto de mais de 30 sugestões
apresentadas no fórum foram selecionadas oito propostas, considerando a
viabilidade, urgência e demanda. O documento final foi concluído nesta última
segunda-feira (26) e as propostas serão rediscutidas em comissão interna
formada por membros de cada instituição envolvida. Também houve consenso na priorização
de problemas a serem solucionados durante a escolha das sugestões.
“Foram importantes estas
discussões, pois os próprios produtores compartilharam e apresentaram questões
pela melhoria da situação nas localidades. A elaboração deste documento é um
passo para que tenham suas demandas atendidas”, destacou a secretária
municipal de Segurança Alimentar (Semsa), Fatima Ribeiro.
Os avanços na execução destas
demandas propostas serão avaliados no fórum do próximo ano. Para a
representante do sindicato da categoria, Maria de Jesus Gamboa, o fórum
conseguiu reunir os principais envolvidos na questão da agricultura familiar e
viabilizar um debate possível de execução. Maria Gamboa elogiou ainda o
compromisso do prefeito Edivaldo. “Nunca uma gestão teve tanta atenção com
os produtores. Nunca uma gestão foi tão envolvida e resolutiva com nossa
categoria. Parabenizo o prefeito Edivaldo por demonstrar esse
compromisso”, disse a sindicalista.
As sugestões foram referentes à
revitalização da Casa Familiar Rural, da instalação de uma fábrica de
compostagem de adubo orgânico, da valorização dos estudos para apoiar a
pesquisa de alimentos regionais, da distribuição de sementes de forma gratuita
por parte dos gestores municipais e estaduais. Estão contemplados a ampliação
da assistência técnica aos agricultores, o pacto pela promoção da alimentação
adequada e saudável, regionalização e ampliação da Feira de Agricultura e
Agrotecnologia (Agritec-MA) e ainda o resgate da metodologia da pedagogia da
alternância. As proposições vão servir para a criação de um termo de cooperação
técnica a ser assinado pelos representantes das comunidades produtoras
participantes do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).
FÓRUM
A mesa redonda de debates contou com
participação de membros das comunidades de Matinha, Cinturão Verde e Tajipuru;
do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de São Luís; e do
representante da FAO-ONU no Brasil, Gustavo Chianca, que esteve na capital
especialmente ministrando a palestra de abertura do fórum.
“Espaços de debates como estes
são importantes e estão se multiplicando. Isso porque discutir a produção
agrícola familiar é crucial para alcance das mudanças necessárias para uma
produção mais qualificada e sustentável”, pontuou Chianca. O objetivo do
documento é adequar os entendimentos e procedimentos para a execução das
demandas.
DEBATE MUNDIAL
O III Fórum de Segurança Alimentar e
Nutricional para a Sustentabilidade de São Luís obteve mais de 400 inscritos e
debateu o tema mundial ‘Proteção social e agricultura: quebrando o ciclo da
pobreza rural’, definido pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação
e a Agricultura (FAO). O evento, que contou com a presença do prefeito
Edivaldo, ocorreu no dia 24, no auditório da Federação das Indústrias do Estado
do Maranhão (Fiema), na Cohama. Foi uma iniciativa da Prefeitura de São Luís,
por meio da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar (Semsa) e integrou o
cronograma de atividades da Semana Mundial de Alimentação, aludindo ao Dia
Mundial da Alimentação – 16 de Outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *