Deputados buscam ações para impedir violência nas manifestações

Sob iniciativa da procuradora geral de justiça,
Regina Lúcia de Almeida Rocha, os deputados Bira do Pindaré (PT), Eliziane Gama
(PPS) e Roberto Costa (PMDB) estiveram reunidos, na manhã desta sexta – feira
(28), com o secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, com o presidente
da Comissão de Direitos Humanos da OAB, advogado Antônio Luís Pedrosa, com
membros do Ministério Público e da Polícia Militar do Maranhão com o objetivo,
de juntos, traçarem metas e ações para que as próximas manifestações ocorram de
maneira tranqüila e pacífica.

Para os deputados, a ação da Polícia Militar nas
mobilizações populares tem sido uma de suas maiores preocupações. “Ficamos
muito preocupados com as ações de alguns militares, pois muito inocentes estão
sofrendo agressões desnecessárias e o pioré que estão sendo levados para a
cadeia. Não sou contra os militares, mas quero garantir a passividade nessas
manifestações”, explicou a deputada Eliziane Gama.
O pedetista Bira disse que é preciso que as
instituições, Ministério Público, OAB, Secretaria de Segurança, Assembleia
Legislativa, deem uma resposta com urgência para diminuir a ação repressora da
polícia militar e evitar os excessos que vêm ocorrendo.
Por sua vez, o secretário Aluísio Mendes
insistiu que a solução é que as pessoas que estão na manifestação pacífica se
afastem dos vândalos para que não sejam confundidos.  “Eu insisto em dizer
para que as pessoas que estão ali pacificamente assim que perceberem qualquer
ação de vandalismo se afastem do local, pois a polícia irá agir. Bombas de
efeito moral e spray de pimenta se alastram rapidamente e não há como
controlar.”

Ele também defendeu o trabalho da polícia
militar: “tenho assistido também muitos ataques aos polícias, muitos têm
voltado para casa feridos gravemente. Isso faz com que eles respondam à
altura.”

O governista Roberto Costa apoiou a ação da
polícia nas manifestações: “não podemos fechar os olhos para os baderneiros, a
polícia militar deve sim agir para garantir a ordem. Esse movimento só mostra a
indignação do povo com o sistema político.”

Percebendo que os órgãos não estavam chegando a
um acordo, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB declarou que os
protestos estão sem liderança. “Ao invés de cada um defender um lado,nós,
órgãos institucionais, temos que buscar uma estratégia certeira até chegar a
uma solução sem violência, preservando também a integridade física dos
policiais. E é importante que a Secretaria de Segurança bole uma maneira de
isolar e punir os vândalos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *