Ricardo Murad trabalha na reestruturação de unidades de saúde em São Luís

 O
governo do Estado estruturou sete unidades municipais de saúde para desafogar e
normalizar o atendimento de urgência e emergência em São Luís. Além dos
Socorrões I e II, que foram limpos, desinfetados e receberam material,
alimentação, medicamentos e apoio médico necessário, em uma semana de intenso
trabalho, foram reestruturados o Hospital da Mulher, da Criança e as unidades
mistas Itaqui Bacanga, Bequimão e São Bernardo.

As unidades municipais receberam
equipamentos, equipes médicas, gêneros alimentícios, reparo nas instalações
elétricas e hidráulicas, material médico-hospitalar, camas, colchões e roupas
hospitalares de acordo com a demanda. A parceria, informou o diretor
administrativo da unidade mista do São Bernardo, Rogério Frazão Carvalho,
garantiu a completa limpeza e higienização da unidade, novas instalações
elétricas e hidráulicas, medicamentos, enxovais médicos, insumos, gêneros
alimentícios e limpeza externa da unidade.

Para Davi Rodrigues da Silva, internado
há 15 dias na unidade mista com problemas de próstata, a mudança foi
significativa. “Tudo melhorou; o acompanhante, agora, recebe comida, a
iluminação ficou melhor e até colchões e roupas de cama nova e cheirosa estamos
recebendo”, disse.

Para a unidade mista do Bequimão foram
encaminhados pacientes diabéticos e hipertensos crônicos que estavam nos
corredores dos Socorrões I e II. A Secretaria de Estado da Saúde (SES)
autorizou o reparo nas instalações elétricas, entrega de medicamentos, gêneros
alimentícios e novos lençóis.

Para a unidade Itaqui Bacanga foram
encaminhados pacientes que precisam de cuidados neurológicos e de clínica
médica. Além de profissionais contratados e encaminhados pelo Governo do Estado
para prestar apoio, o diretor administrativo, Antonio de Melo, disse que a
unidade recebeu reparo na iluminação, material médico e hospitalar, oito camas
com colchões, lençóis e gêneros alimentícios.

Transferido do Socorrão I para o Itaqui
Bacanga, Antonio Carlos Ribeiro, de 72 anos, disse que o atendimento mudou
totalmente. “Estamos recebendo medicamentos, roupas limpas e estamos fora
do corredor, o que é muito bom”. Morador de Alcântara, Joaquim Mariano
Ferreira, 72 anos, estava há 16 dias no corredor do Socorrão I quando foi
transferido para o Itaqui Bacanga. “Aqui é melhor porque estou com
tranquilidade para dormir”.

No Socorrão II, um andar que estava
desativado recebeu equipamentos, 62 camas, rouparia e serviços de limpeza e tem
capacidade de atender, com conforto e segurança, dezenas de pacientes
ortopédicos que estavam nos corredores.

“Mostramos que, como uma rede
estruturada, com equipe profissional e boa gestão é possível oferecer à
população de São Luís e municípios vizinhos uma assistência médica e
hospitalar, na rede de urgência e emergência”, explicou Ricardo Murad.

 

 O Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *