Operações integradas da Segurança Pública resultam em mais de 40 prisões em julho

Prisão de suspeitos de homicídios, assaltos e de integrar facções criminosas são o resultado de uma série de operações integradas, realizadas pelas forças da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA). Em ação parceira, as polícias Civil e Militar prenderam 49 pessoas; destas, 19 são membros de organizações criminosas. Na série de prisões, somam 39 preventivas, oito em flagrante e duas por sentença condenatória. Os números são de ações executadas em julho, na Região Metropolitana de São Luís.

As polícias vêm se organizando em operações integradas e, dessa forma, obtido resultados significantes no combate ao crime, pontua o titular da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), delegado Carlos Alessandro Rodrigues. “Com essa união de informações e de estratégias, temos conseguido desarticular grupos criminosos que agiam em diversos pontos da região. Isso reflete na redução dos índices de crimes como tráfico de drogas, roubos e homicídios, em localidades com histórico de violência”, destaca o delegado.

Com a ação Poder Paralelo, coordenada pela Seccional Leste, órgão da SPCC, somaram 19 prisões de integrantes de facções criminosas que atuavam em São José de Ribamar. O trabalho teve apoio de equipes do Comando de Policiamento de Área Metropolitana (CPAM II), da Polícia Militar, do Centro Tático Aéreo (CTA) e demais superintendências da Polícia Civil. Na operação Ramsés, que investigou uma das maiores fraudes financeiras do país, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão.

Bares e restaurantes, na área Itaqui-Bacanga, foram fiscalizados em operação da SPCC, em parceria com a Vigilância Sanitária e o CPAM Sul. “Nossas equipes estiveram em diversos estabelecimentos para verificar e fazer cumprir normas de segurança sanitária, em virtude do novo coronavírus”, pontua o delegado Carlos Alessandro Rodrigues.

Operação no bairro Cidade Operária teve objetivo de combater o crime de poluição sonora e perturbação de sossego. A polícia flagrou bares funcionando em desacordo com as normas ambientais e de segurança sanitária. Foram aplicadas notificações e multas, além de cassação de licenças e interdição de estabelecimentos.

Nos casos em que a perícia técnica constatou som acima dos níveis permitidos, houve autuação por crime de poluição sonora ambiental. Em outro caso, estabelecimento funcionava sem as licenças necessárias e o proprietário foi autuado por crime ambiental. O trabalho contou com reforço do Corpo de Bombeiros, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Polícia Militar.

Para denúncias e informações, a SPCC disponibiliza o whatsapp (98) 98418-5661. “Trata-se de mais um importante canal de denúncias para que a comunidade possa contribuir e também, promover maior interação com a Polícia Civil”, enfatiza o delegado Carlos Alessandro Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *