Comissão de Segurança reúne-se com remanescentes e inaptos do concurso da PM

A Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa reuniu-se no auditório do Plenarinho, com os remanescentes e considerados inaptos do concurso da Polícia Militar (PM) de 2017. O presidente da Comissão, deputado Cabo Campos (DEM), conduziu o encontro, no qual um advogado falou da ação jurídica e os candidatos relataram problemas.

Cabo Campos disse que solicitará audiência com a promotora responsável pelo caso. “Não vou prometer vitória, mas vamos lutar até o fim. Seremos vitoriosos. Um ajudando o outro”, garantiu o deputado.

A frase “A sociedade maranhense clama por mais segurança e nós somos a solução! Aprovados PM 17/18” foi colocada para recepcionar os candidatos. Naiara Reis, por exemplo, contou que foi desclassificada porque os avaliadores não souberam aplicar corretamente os exercícios exigidos. Ela defendeu que haja nova avaliação e que a banca examinadora mostre os vídeos e fotos feitos durante os exames.

Outro candidato, Vitor Martins, defendeu que o Governo do Estado amplie o número de vagas para os candidatos classificados, dobrando dos 4,5 mil aceitos, para cerca de 8 mil, para facilitar futuras convocações.

O advogado Augusto Pacheco, que foi bombeiro militar, falou sobre o pedido para que o Ministério Público analise os vídeos e fotos mostrando que examinadores não habilitados fizeram a aplicação dos exercícios físicos e anularam indevidamente os candidatos.

Ele frisou que os candidatos não querem suspender o concurso e explicou que tem ação individual pode ser beneficiado com a abertura do procedimento no Ministério Público.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *