PF investiga desvio de recursos destinados a vítimas da seca no Maranhão

Carlos Robério dos Santos  ocupou o cargo de Coordenador Estadual de proteção e Defesa Civil do Maranhão,  entre os anos de 2009 e 2013 se apresentou à Polícia Federal. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Polícia Federal (PF) e a Controladoria Geral da União (CGU) deflagraram na manhã desta quinta-feira (8), em São Luís, a Operação Torrentes II – Círculo de Fogo para apurar a suspeita de desvios de recursos públicos federais destinados a socorro de vítimas da seca no Maranhão.

Nove pessoas foram presos na operação, entre os presos estão o coronel do Corpo de Bombeiros João Wanderley Costa Pereira e o primeiro tenente Augusto do César Santos Cutrim. Além deles, e o ex-coronel Carlos Robério dos Santos. Os suspeitos estão sendo ouvidos na sede da Polícia Federal em São Luís.

Segundo as investigações, a prática criminosa contava com a cumplicidade de oficiais do Corpo de Bombeiros, os participantes do esquema desviavam parte do dinheiro repassado pelo Ministério da Integração Nacional para assistência à população atingida pela forte seca que atingiu o estado em 2013 e 2014.

As empresas de fachada eram contratadas mediante o pagamento de propina a agentes públicos. Os investigadores constataram que empresas depositavam quantias em dinheiro nas contas bancárias de oficiais do Corpo de Bombeiros, após a corporação pagar por serviços irregulares. Às vezes, antes de chegar às contas correntes dos oficiais militares, o repasse era intermediado por pessoas suspeitas de atuar como operadores do esquema.

A PF calcula que os prejuízos com o superfaturamento de contratos e do não fornecimento integral dos serviços contratados podem totalizar um prejuízo superior a R$ 10 milhões aos cofres públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *