E o processo contra Edivaldo vai andando no TRE…

Apesar de
aliados do prefeito desdenharem da ação protocolada pelo deputado Eduardo
Braide, Corte Eleitoral já tem até cronograma definido para julgar o caso, que
pode resultar na perda do mandato do prefeito de São Luís
Engana-se quem pensa que o processo de cassação do prefeito
Edivaldo Júnior (PDT) – impetrado em dezembro na Justiça Eleitoral pelo
deputado estadual Eduardo Braide (PMN), seu adversário nas eleições de 2016 –
seja mais um a encher as gavetas do Tribunal Regional Eleitoral.
A ação de Braide está em pleno andamento, já superada a fase de
apresentação de provas e contraprovas, documentos de acusação e contestação.
E tem até prazo para estar julgada pelo juiz eleitoral de base:
junho de 2017.
O prazo definido para julgamento das ações eleitorais foi
estabelecido em todo o país pelo Tribunal Superior Eleitoral, com chancela do
Conselho Nacional de Justiça. O objetivo é evitar que ações que possam levar à
perda de mandatos eletivos fiquem esquecidas nos tribunais eleitorais,
prejudicando o autor e o próprio eleitor, que pode ter sido lesado durante as
eleições.
No caso específico de Edivaldo Júnior, o TRE vai iniciar agora a
fase das oitivas, com acusados, acusadores, testemunhas de defesa e de
acusação.
Edivaldo teve o mandato contestado por Braide, que elencou uma
série de documentos que, na sua avaliação, provariam o crime eleitoral cometido
pelo prefeito em sua reeleição, qual seja, abuso do poder econômico resultando
na compra de votos em toda São Luís.
Braide apresentou as provas e Edivaldo já protocolou suas
contraprovas. A partir delas é que o juiz responsável pelo caso fará as
perguntas aos envolvidos.

Da coluna
EstadoMaior, de O EstadoMaranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *