Conheça o histórico policial de Fernando Sarney, novo homem da CBF na Fifa

Fernando Sarney, filho de José Sarney: suspeito de evasão de divisas, formação de quadrilha e fraude em licitação
O empresário e vice-presidente da CBF
Fernando Sarney, que assume o lugar de Marco Polo del Nero como
representante da entidade junto a Fifa
, tem em sua biografia
passagens policiais e investigações criminais que, se não levaram a nenhuma
condenação judicial definitiva, suscitaram perguntas que ainda carecem de
respostas.
Informações privilegiadas sobre
investigações policiais, evasões de divisas, cerceamento de liberdade de
imprensa e ilícitos eleitorais estão entre as denúncias desabonadoras da vida
do filho do ex-presidente da República José Sarney. Fernando Sarney nega
boa parte das acusações contra ele. As quais não negou, se deu ao direito de se
manifestar apenas no processo.
Veja, abaixo, um resumo dos
principais casos envolvendo o mais novo membro do comitê executivo
da Fifa.
O histórico de Fernando
Sarney
O informante dentro da Polícia Federal
Entre 2007 e 2010, Fernando Sarney e outros membros
de sua família foram investigados dentro de um inquérito da Polícia Federal que
apurava evasão de divisas dos cofres públicos maranhenses. O empresário chegou
a ter seu telefone grampeado – com autorização judicial – pela PF.
Uma série de conversas interceptadas pelo grampo
mostra que um policial federal utilizou seus contatos para repassar a Fernando
Sarney os detalhes das investigações. O empresário era informado sobre
diligências e campanas contra funcionários de suas empresas e outras operações
de busca e investigação dos policiais, para que pudesse evitar flagrantes e
apreensões de documentos importantes.

Na época, Sarney disse que se tratava de vazamento de informação sigilosa e que
não iria se pronunciar a não ser no processo.

Veja, abaixo a transcrição de uma dessas conversas entre Sarney e o policial
Aluizio Guimarães Filho, que depois veio a ocupar um cargo no governo estadual
do Maranhão, quando este era administrado pela irmã de Sarney, Roseana. No
diálogo, os dois falavam sobre uma campana da PF contra um funcionário de
Fernando Sarney:

Fernando: Tu tens alguém nessa área lá?
Aluizio: Eu tô ligando pra um colega meu agora.
(?) Tem um delegado amigo meu de lá, mas eu não tou conseguindo.(?)
Fernando: Então, vamos arrumar alguém.
Aluizio: Eu já botei alguém no circuito e vou ter
informações do que está acontecendo.
Fernando: Ele tá lá entocado, tá? Ele não tem
problema.

Aluizio: Não precisa ficar entocado. Eles não podem
subir porque eles não têm mandado de busca. Querem pegar ele na rua pra dar uma
pressão nele

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *