Humberto Coutinho esclarece dúvidas sobre obras de hospitais em construção pelo Governo do Estado

O presidente da Assembleia Legislativa,
deputado Humberto Coutinho (PDT), esclareceu, na sessão desta quinta-feira
(29), dúvidas sobre como será o funcionamento dos hospitais regionais de Santa
Inês, Caxias e Imperatriz, cujas obras executadas pelo Governo do Estado estão
praticamente em fase de conclusão.
Em resposta a
questionamentos feitos na tribuna pelo deputado Sousa Neto, o deputado Humberto
Coutinho afirmou que, para a inauguração do Hospital de Pinheiro, foi preciso
transferir equipamentos de uma subestação de energia elétrica do município de
Caxias, porque as etapas de instalação do Hospital Pinheiro estavam mais avançadas.
“O governo do Estado
agiu assim porque esta medida produziria, como produziu, um efeito mais rápido.
A empresa responsável pela obra já repôs a subestação de Caxias”, afirmou
Humberto Coutinho.
Em seu discurso na
tribuna, o deputado Sousa Neto afirmou que havia um tomógrafo no Hospital
Macrorregional de Santa Inês que, por determinação da Secretaria de Estado de
Saúde, foi transferido para o município de Caxias.
Humberto Coutinho
explicou que este tomógrafo, inicialmente, estava na cidade de Presidente
Dutra, e depois foi levado para Santa Inês e, posteriormente, para o município
de Caxias.
“Eu tenho certeza de que
tem outro tomógrafo comprado e, quando for inaugurar o Hospital de Santa Inês,
lá vai ter um tomógrafo. O governador, a princípio, quer inaugurar com certeza
ainda este ano, estas obras executadas na área da saúde”, afirmou o presidente
da Assembleia Legislativa.
Segundo ele, a pretensão
do governo é inaugurar, neste mês de novembro, o Hospital de Caxias e em
dezembro inaugurar o Hospital de Santa Inês e o Hospital de Imperatriz.
“Nós sabemos que para
abrir um hospital é muito complicado. Não é fácil não. Hoje se abre um hospital
no mínimo com seis meses para tentar abrir um hospital, porque tem muitos
detalhes. Não se pode ver macro, sem ver o micro de cada questão,
 justamente porque o micro tem que ser visto com muito cuidado para poder
não ter problema no futuro. Mas nós todos podemos ter a consciência tranquila
porque o governo vai inaugurar o Hospital de Santa Inês, em muito pouco tempo,
e lá vai ter um tomógrafo instalado”, assegurou Humberto Coutinho. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *