Folha: o novo com práticas velhas, Dino nomeia parentes de aliados no Maranhão

Flávio Dino e o cruzamento do nepotismo
Folha e São Paulo Principal adversário
da família Sarney no Maranhão, o governador do Estado, Flávio Dino (PC do B),
abriga em postos importantes parentes, namorada e até sócio de aliados.

A
prática não configura nepotismo, já que os nomeados não atuam nos mesmos órgãos
que os auxiliares aos quais são ligados. Mesmo assim, vem rendendo críticas a
Dino, que condenava o nepotismo no
governo dos Sarney.

O
secretário de Articulação Política, Márcio Jerry, tem a namorada chefiando o
gabinete do governador e a irmã dela como número dois da pasta de Esporte e
Lazer.

A
professora Joslene da Silva Rodrigues,
namorada de Jerry, é dirigente do PC do B e próxima de Dino. Atuou na
coordenação das campanhas e em seu gabinete quando ele foi deputado federal.

A irmã dela, Joslea, foi nomeada secretária-adjunta
de Esporte. Ex-judoca, chefiou o departamento do idoso da pasta entre 2009 e
2013, no governo Roseana Sarney (PMDB), e atuou no Ministério do Esporte, comandado
até 2014 pelo PC do B.

Na
Secretaria de Representação Institucional do Maranhão no DF, a adjunta carrega
um sobrenome conhecido: Liz Ângela
Gonçalves de Melo
é irmã do presidente do instituto de terras do Estado.

Ana Karla Silvestre Fernandes,
mulher do ex-governador e futuro secretário de Minas e Energia, José Reinaldo
Tavares, foi nomeada corregedora-geral do Estado.

Outro
parente nomeado, o advogado César Pires
Filho
, assessor jurídico do Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial
do Maranhão, tem sangue oposicionista. Seu pai, o deputado estadual César Pires
(DEM), foi líder do governo Roseana na Assembleia.

A
presença de familiares no governo era uma das principais críticas da oposição
nos anos de predomínio do grupo de Sarney. Um dos exemplos mais conhecidos era
Ricardo Murad, cunhado de Roseana, que comandou a Secretaria da Saúde até o
2014.

Além
de parentes, a gestão Dino terá o antigo sócio de um secretário justamente na
pasta de Transparência e Controle, uma das principais promessas de sua campanha.

O
titular, Rodrigo Lago, nomeou como chefe da assessoria especial Marcos Canário Caminha, com quem
dividia um escritório de advocacia.

Embora
o governo defenda as nomeações (leia texto abaixo), um de seus auxiliares
admite “incômodo político”.

“Do
ponto de vista jurídico, é evidente que não caracteriza nepotismo. Sob o ponto
de vista político, não deixa de ser um certo incômodo, porque afinal de contas
a gente vinha se debatendo com o grupo Sarney”, afirma o futuro secretário
de Representação Institucional no DF, Domingos Dutra.

OUTRO
LADO

O
governo do Maranhão disse seguir “rigorosamente” a súmula vinculante
do Supremo Tribunal Federal que trata de nepotismo –para o STF, não podem ser
nomeados parentes de autoridades ou gestores em um mesmo órgão.

A
gestão ressaltou que nenhum nomeado tem parentesco com Flávio Dino.

Afirmou
ainda que Joslene Rodrigues, Joslea
Rodrigues e Ana Karla Fernandes
são funcionárias públicas de carreira e
que, assim como César Pires Filho e Liz Ângela Gonçalves de Melo, foram
nomeadas por suas aptidões.

Sobre
o secretário Rodrigo Lago e Marcos Canário Caminha, diz que eles encerraram a
empresa que tinham para entrar na administração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *