80% das escolas do município têm funcionamento regular

 A Prefeitura de São Luís está garantindo o pleno
funcionamento das atividades educacionais e nutricionais em mais de 80% das
escolas da rede municipal de ensino, que não aderiram ao movimento organizado
pelo Sindicato dos Professores. Esta semana, o titular
da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Geraldo
Castro, visitou algumas dessas unidades para acompanhar o funcionamento e a
rotina de trabalho desempenhado nessas escolas.

Uma das unidades visitadas pelo secretário foi a
Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Rubem Goulart, na Cohab, que atende a quase
mil alunos, nos três turnos. A escola é uma das quais todas as atividades
socioeducativas e de segurança alimentar estão sendo desenvolvidas, assim como
as ações extracurriculares previstas no cronograma letivo.  A rede
municipal de ensino tem um total de 252 unidades básicas de ensino fundamental
e infantil. 

“Estamos trabalhando muito para garantir o
funcionamento das unidades em sua plenitude. Tivemos um retorno significativo
de professores ao trabalho, fazendo com que atingíssemos um índice de 80% de
unidades em funcionamento total ou parcial. Isso nos possibilitou resgatar o
dia a dia das escolas e manter as atividades educacionais costumeiras para
garantir a permanência das crianças em sala de aula, com atividades de esporte,
culturais, merenda escolar e todas as demais ações inerentes à comunidade
educacional”, afirmou Geraldo Castro.

O secretário garantiu que o calendário escolar vai
ser totalmente cumprido dentro da reposição necessária, nas escolas onde houve
a paralisação. Já nas unidades que não pararam, a conclusão das atividades será
dentro do calendário previamente firmado. “O fato é que teremos o respeito
total à Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), garantindo todo o
cumprimento de dias e horas letivos preconizados pela lei”, garantiu o
secretário.

Segundo ele, o mais importante é que seja feita a
organização do calendário, com apoio dos professores. “Estamos no momento em
que o entendimento é do interesse de todos os setores e não devemos permitir
que as perdas por essa situação recaiam sobre nossos alunos. Temos de garantir
que recebam suas aulas e que participem de todas as atividades escolares previstas”,
enfatizou.

 NEGOCIAÇÃO

A greve dos professores foi decretada ilegal pelo
Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA). O posicionamento foi reafirmado no
último dia 15 deste mês, quando as Primeiras Câmaras Cíveis Reunidas, órgão
colegiado do TJMA, votou, por unanimidade, pela ilegalidade do movimento
paredista. A decisão contrariou recurso do Sindeducação e reiterou a decisão do
Supremo Tribunal Federal (STF), que também já havia considerado a greve dos
professores ilegal. Em todas as decisões, a Justiça ordena o retorno imediato
dos professores ao trabalho. 

“A Prefeitura participou de todas as rodadas de
negociação com a categoria, sempre com a presença de representantes da Semed.
Nessas conversações tivemos avanços significativos. Não é do interesse da
Prefeitura nem da categoria que tenhamos o prolongamento dessa situação”,
declarou Geraldo Castro.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *