Homicida que trocou tiros com policial no Fórum Sarney Costa, era acusado de ser o executor de dois empresários no Distrito Policial

Hoje ele levou a pior ao trocar tiros com um policial da Seic
nas dependências do Fórum Sarney Costa em São Luís

Fim de Linha: o preso
identificado como Erinaldo Almeida Soeiro, morto durante uma troca de tiros com
um investigador da (Seic), no Fórum Desembargador Sarney Costa, no Calhau, na
manhã desta quinta-feira (31), era acusado de executar os dois irmãos José Mauro Alves Queiroz, de 57 anos e José
Queiroz Filho, de 68. Ambos eram proprietários da empresa Replub Ltda,
especializada na compra e venda de óleo reciclado, localizado no Distrito
Industrial de São Luís.

O crime

Na
tarde do dia 11 de janeiro de 2012, um homem em uma motocicleta Honda preta
chegou ao vigilante da empresa dizendo que queria comprar óleo. O vigilante
nesse momento chamou um dos sócios. Ambos foram rendidos pelo homem que pediu
que os levassem a um dos irmãos Queiroz.

No
escritório onde se encontrava as vítimas, o executor efetuou um disparo de arma
de fogo contra o José Mauro e dois disparos contra o José Queiroz. Um sobrinho
da vítima, também, se encontrava no local no momento do crime.

O
delegado Roberto Vagner Leite contou que, em depoimento, Erinaldo Soeiro
revelou que havia sido contratado por um ex-sócio de uma das vítimas para
realizar o crime. Na negociação, o mandante, Eduardo Gomes de Freitas, teria
encomendado o crime pela quantia de R$ 100 mil. “Eduardo havia pago o valor de
R$ 40 mil e daria o restante depois do crime, mas ele acabou tendo um infarto,
não resistiu e acabou falecendo”, explicou o delegado.

Para
a polícia, Erinaldo Almeida Soeiro,  foi quem efetuou os
disparos que atingiram os empresários. Na época, o secretário de Segurança,
Aluisio Mendes, disse se tratar de um homicida altamente “perigoso”. Ele tinha diversas
passagens pela polícia, inclusive já havia tido um confronto policial com
equipes da (SEIC).  

 Depois de preso, ele foi apresentado pela SSP
no dia 25 de novembro de 2013.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *