Rubens Jr. denuncia que a Alumar pretende demitir 500 metalúrgicos

O líder do Bloco
Parlamentar de Oposição (BPO), Rubens Pereira Jr. (PCdoB), denunciou, na sessão
desta segunda-feira (31), que a Alumar pretende demitir imediatamente 500
metalúrgicos, de acordo com informação que recebeu do presidente do Sindicato
dos Metalúrgicos (Sindmetal), José Maria Araújo.

 O parlamentar
considerou a denúncia extremamente grave e que pode afetar a vida de centenas
de famílias maranhenses, especialmente na capital, mas atingindo toda economia
do Estado.

 Os trabalhadores
serão demitidos pela Alumar devido ao desligamento de 250 fornos, por conta da
perda de competitividade das operações diante da elevação do custo de produção.

 “A grande contradição
é que esta empresa recebeu diversos benefícios, incentivos fiscais do Governo
do Estado e do Governo Federal, e esta é a contrapartida que ela dá para os
trabalhadores e trabalhadoras: a demissão. Isso dos trabalhadores diretos. Dos
trabalhadores indiretos ou, por exemplo, através de cooperativas e de
terceirizadas, o índice é ainda maior; e isso não pode ficar assim”, afirmou.

 O deputado disse que
o Sindmetal quer debater o assunto com a sociedade e solicitou que seja
realizada uma audiência pública na Assembleia convidando os representantes da
Alumar, o Sindicato dos Metalúrgicos, o Governo do Estado e representante do
Governo Federal.

 Em aparte, o deputado
Bira do Pindaré (PSB) afirmou haver recebido também a denúncia e classificou o
fato de assustador, por conta de que 500 pais de família serão sumariamente
demitidos de uma empresa que já recebeu muitos benefícios públicos.

  “As denúncias
são, inclusive, mais graves: o sindicato denuncia que a empresa está cometendo
um desvio de atividade com a redução da produção de alumínio, para vender
energia no mercado. E que energia é essa? Energia que foi adquirida a baixo
custo por conta dos incentivos fiscais do Poder Público”, afirmou Rubens Jr.

 GREVE DA PM

 Rubens Jr. garantiu
também que o Governo do Estado continua sem dialogar com os policiais
paralisados. “A Comissão de Segurança da Assembleia não pode ficar sentada ou
deitada em berço esplêndido assistindo tudo. É indispensável que a Comissão de
Segurança vá dialogar com os representantes dos policiais militares. O
presidente da Comissão até o mandato passado era o deputado Roberto Costa,
agora não é mais. Segundo o Diário ainda não houve eleição, mas exigimos que a
Comissão de Segurança vá dialogar com os policiais militares”, defendeu.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *