Número de analfabetos no Maranhão cresceu no governo Roseana

 
Divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia
e Estatística (IBGE) os números da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios
(PNAD) 2012 colocam novamente o Maranhão em situação vexatória, principalmente
no quesito Educação e apontam que no governo Roseana Sarney, a quantidade de
pessoas com 15 anos que são analfabetas, aumentou em relação a 2009, quando ela
iniciou o terceiro mandato a frente do governo do Estado.

Naquele ano o percentual da população nesta faixa
etária que era analfabeta atingia o patamar de 19,1%, (872 mil pessoas). Em
2012, os números do PNAD revelam que o percentual da população maranhense com
15 anos ou mais que não teve ainda a oportunidade de conjugar dois verbos
essenciais à cidadania: ler e escrever alcançava o patamar de 20, 8%% o que
equivale 986 mil pessoas.

Embora tenha reassumido o governo do Estado em 2009,
com a promessa de recolocar o Maranhão nos “trilhos” e ter sido
reeleita no ano seguinte defendendo esta proposta, a atual governadora comanda
atualmente um estado, onde o numero de analfabetos é maior do que o
encontrado por ela quando ela assumiu o posto em abril de 2009.

No dia 27 de setembro de 2010, o Editorial do Jornal O
Estado do Maranhão afirmou que a reeleição da então candidata, a governadora
Roseana Sarney (PMDB), que disputava o quarto mandato seria fundamental para
consolidar a política de desenvolvimento por ela iniciada. Um ano antes, a
governadora que já havia exercido dois mandatos, pelo PFL, atual DEM (entre os
anos de 1995 e 2002), assumiu o comando do Estado pela terceira vez, por força
de uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após a cassação do
mandato do governador Jackson Lago (PDT).

Porém, os números da Pesquisa Nacional por Amostra de
Domicílios (PNAD) 2012, revelam dados contraditórios as afirmações defendidas
pelo jornal, cuja linha editorial é atrelada ao grupo político da governadora.
Os indicadores apresentados pelo IBGE mostram que de todos os estados do
nordeste, que por sinal registra o maior índice de analfabetos na população com
idade acima de 15 anos, dentre todas as regiões do país, o Maranhão é o único
que apresentou aumento na quantidade de pessoas reféns do analfabetismo.
 
Fonte: Maranhão da Gente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *