Maranhão ganha aeronave que pertencia a traficantes, para uso de tribunais estaduais

Aeronaves serão usadas pelo Poder Juduciário

Onze estados brasileiros contam a partir de agora com uma importante
ajuda no apoio à prestação jurisdicional e no combate às drogas. Em cerimônia
realizada na manhã desta segunda-feira (30), no Aeroporto de Brasília, a
corregedora Nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, fez a entrega de 16
aeronaves de pequeno porte que serão usadas de forma compartilhada pelo Poder
Judiciário e pelas Forças de Segurança Pública dos estados.
Segundo o juiz corregedor auxiliar da Corregedoria Nacional
de Justiça do CNJ, Marlos Melek, parte das aeronaves pertenciam a traficantes e
três delas pertenciam à Fundação Nacional do Índio (Funai).
Os estados que vão receber os aviões são: Acre, Amazonas,
Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, o Pará, Paraná, Piauí, a Bahia,
Rondônia e Tocantins. Eles foram escolhidos para receber as aeronaves por causa
das dificuldades de deslocamento enfrentadas pelos juízes. Todas elas estavam
em péssimas condições de uso e passaram por uma revisão completa para voltar ao
uso.
“Eles vão operar as aeronaves com a Polícia Militar para
combater o crime organizado”, disse. Ele informou ainda que os aviões serão
usados de forma compartilhada entre os tribunais. Disse Marlos Melek.
Ainda de acordo com Melek, as aeronaves serão usadas no
transporte de juízes para fiscalizar as varas nos estados. Hoje, a fiscalização
é feita de carro, o que pode exigir uma viagem de até quatro dias para se
chegar a uma cidade no interior de um estado. Com os aviões, o juiz pode ir e
voltar no mesmo dia.
A corregedora nacional de Justiça ministra Eliana Calmon, disse
que esses aviões que serviam ao tráfico, agora irão servir a Justiça. Ela
informou que o CNJ está trabalhando com diversos órgãos em âmbito federal e
estadual. “Acho que os órgãos públicos precisam estar unidos, ter objetivos
comuns. Dessa forma ficamos mais fortes para combater o crime organizado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *