Com a greve da polícia Civil será que governadora vai mandar buscar o Bope do RJ?



Policiais reunidos em assembleia em frente a Refsa



A bruxa está solta no Maranhão, agora é a vez dos policiais civis e os peritos criminais deflagrarem greve por tempo indeterminado somando forças ao movimento dos policiais militares e bombeiros iniciado no dia 23 deste mês.

Os peritos decidiram paralisar as atividades na próxima quinta-feira enquanto os policiais iniciaram o movimento paredista ainda na noite de ontem, às 22h. Como foi informado pelo blog os membros do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) do Maranhão se reuniram ao fim da tarde em frente ao Plantão Central da Refssa para realizarem a assembleia.

O presidente do Sinpol, Amon Jessen, ao iniciar a reunião com a categoria informou que os membros teriam espaço para defender a forma como o movimento seria realizado. O posicionamento do sindicato era pela deflagração a partir da próxima quinta junto com os peritos cumprindo os prazos legais.

Entretanto, vários policiais subiram no palanque da Refssa para defender a deflagração imediata.

O presidente do sindicato afirmou que por ser uma decisão tomada em assembleia deve ser acatada pela categoria. A assembleia é soberana e por isso faremos o movimento mesmo com os prazos vencidos. Nós concentraremos na Reffsa e na Assembleia Legislativa (AL), disse.

O governo promete, promete, acorda e não cumpre ou quando cumpre o faz parcialmente, declarou. As duas principais bandeiras levantadas pelos sindicalistas foram a incorporação do percentual de 11,95% sobre a Unidade Real de Valor (URV) aos salários e adoção de um novo Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR).

Qual será a atitude do governo do Maranhão mediante greve dos policiais civis? Vai continuar fazendo birra?  Enquanto isso, quem sofre é a população que fica presa dentro de suas casas com medo de arrastões, assaltos, bala perdida. Mas, a dona do Maranhão, deve solicitar ao governo do RJ que envie o BOPE para reforçar a segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *