Governo do Estado vai qualificar mais de 80 mil trabalhadores

Governadora Rosena Sarney

Foi apresentado nesta sexta-feira (25), no Palácio dos Leões, pelo secretário de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Mauricio Macedo, e pelo chefe da Casa Civil, Luis Fernando Silva. O Plano Integrado de Educação Profissional do Maranhão – Maranhão Profissional, a meta é qualificar mais de 80 mil pessoas até 2014.

O programa tem a finalidade de formar mão de obra para atender às demandas de contratações dos empreendimentos instalados e/ou em fase de instalação no Maranhão, que somam R$ 100 bilhões em investimentos. “É um programa sistêmico que visa atingir toda a população do estado. É uma maneira de resgatar e oportunizar as pessoas que não têm oportunidade, que estão trabalhando na informalidade ou que não tem qualificação”, explicou Macedo.

Ao todo, serão R$ 800 milhões previstos para execução do programa, distribuídos em formação de docentes, formação de capital humano, estrutura física, auxílios, adaptação, recuperação e ampliação da estrutura física existente. “Vamos criar dentro do governo uma instituição independente e ágil para que esse processo ande com a velocidade que o estado precisa”, acrescentou.

O Maranhão Profissional será executado em duas fases: a primeira contemplará 20 municípios (São Luís, Imperatriz, Balsas, Açailândia, São José de Ribamar, Bacabal, Timon, Pedreiras, Santa Inês, Caxias, Paço do Lumiar, Pinheiro, Grajaú, Codó, Rosário, Bacabeira, Aldeias Altas, Santo Antônio dos Lopes, Godofredo Viana e Centro Novo do Maranhão), com foco na educação inicial, continuada e técnica, voltada para as áreas da indústria, construção civil, comércio, serviços e agropecuária.

A segunda etapa envolverá mais 44 municípios e se estenderá até 2014. Compreende a consolidação e expansão da etapa anterior e contempla ainda a educação empreendedora e educação superior de curta duração.

“O programa será lançado oficialmente pela governadora Roseana Sarney em março. Em abril, o Plano já começa a ser executado. Não podemos esperar”, garantiu Macedo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *